Quarta-feira, 27 de Fevereiro de 2008

Até que a morte nos separe

O casamento é uma doença. É por isso que se diz «contrair matrimónio». E é fácil contraí-lo: Um gajo vai a andar na rua, apanha uma corrente de ar esquisita, e contrai matrimónio. É assim tão simples.
O que é que se passa com o Tó Zé? O Tó Zé meteu-se nas danças de salão e contraiu matrimónio. O médico deu-lhe 6 meses de vida. Mas o Marco de Camillis diz que, graças aos avanços do paso doble moderno, ele poderá viver para morrer mais um dia.
O Marco de Camillis percebe de questões amorosas: ele é italiano.
publicado por Brockston Über Alles às 14:36
link do post
1 comentário:
De Clara Umbra a 27 de Fevereiro de 2008 às 18:57
Li, na Science, que já há vacina, para quem quer prevenir a doença, e eutanásia, para quem já a contraiu, mas não quer continuar a agonizar. E a Science não mente.

Comentar post

© 2008 Brockston Über Alles. Todos os direitos rebarbados.

Génio Atormentado




Coluna desnecessária

dantes é que era

links

pesquisar neste brockston

 

subscrever feeds

blogs SAPO