Quarta-feira, 5 de Setembro de 2007

Memoirs dum sádico

Estas férias subi ao segundo tabuleiro da Torre Eiffel, onde estão os salgados, e vi Paris, e aquela vista de tirar a respiração fez-me sentir pequeno, insignificante, careca. (O que os tablóides não dizem é que Paris Hilton é muito maior quando está em cima duma estrutura metálica de grande envergadura.) Mas o que cativou a minha atenção foi uma senhora de cadeira de rodas que, acompanhada por membros do le staff, tinha passado à nossa frente na fila para o elevador. Fiquei fascinado com a pinta com que a senhora se levantou da cadeira, vencendo por instantes o seu problema de locomoção, para tirar uma fotografia de família digna de postal. E não digo isto porque fiquei ressabiado. Não. Digo-o porque a senhora era indiana e ostentava a tradicional raspadinha na testa.
No final ficámos amigos e eu até ajudei o genro a mandá-la borda fora.
publicado por Brockston Über Alles às 16:01
link do post
2 comentários:
De Rico B. a 5 de Setembro de 2007 às 22:19
Não podias estar ressabiado,para começar, não tens rabo, a tua mãe tem mais que tu, falo por experiência própria.
Aproveito para perguntar se lançaram apenas a senhora ou a senhora com a cadeira de rodas?
De carlos a 7 de Setembro de 2007 às 14:40
Podias ter visto se tinha prémio...

Comentar post

© 2008 Brockston Über Alles. Todos os direitos rebarbados.

Génio Atormentado




Coluna desnecessária

dantes é que era

links

pesquisar neste brockston

 

subscrever feeds

blogs SAPO